No MT, estudantes desenvolvem protótipo de hidroelétrica

O Movimento dos Atingidos por Barragens, em conjunto com o projeto “Canteiros” da UNEMAT e a Escola Ênio Pepino, vem desenvolvendo uma oficina de protótipo de uma hidroelétrica em Sinop (MT).

“Princípios da alavanca, hidráulica e engrenagem” é o nome da oficina patrocinada pela Capes, que é desenvolvida na própria escola. A proposta de construir um protótipo de uma hidroelétrica tem como objetivo representar a UHE Sinop e seus impactos.
Com essa iniciativa, os alunos tentam mostrar como de fato se constrói uma usina hidroelétrica. Monitores acadêmicos das áreas de engenharia elétrica e letras, além de professores e militantes do MAB, acompanham esse processo.

Os trabalhos foram divididos em dois grupos: aspectos ambientais e sociais. Foram levantados uma série de dúvidas, em relação à floresta, animais e às famílias atingidas.
Em uma visita à gleba Mercedes, assentamento que será atingido pela UHE SINOP, os alunos e alunas puderam tirar algumas dúvidas, além de visitarem algumas famílias e áreas florestais que serão inundadas.

Segundo Débora, estudante da escola Ênio “a vista foi muito boa, eles foram bastante receptivos, mas foi horrível sentir o que eles estão sentindo”, disse. A estudante se refere aos vários casos de famílias que construíram suas vidas no assentamento e no momento se veem na eminência de deixarem o lugar, ou quais serão as formas de indenização e compensação.

Segundo João Carlos do MAB, “a visita ao assentamento foi um choque de realidade para os estudantes e ampliou o horizonte de análise do problema das barragens”.

Além do protótipo da UHE Sinop e visitas às áreas atingidas, o trabalho prevê a produção de vídeos, painéis de fotos e de materiais coletados na visita, um questionário a ser aplicado na cidade de Sinop para identificar a opinião dos moradores urbanos sobre o problema e também a elaboração de um PBA (plano básico ambiental) do protótipo.