No Piauí, Formação de Formadores da Plataforma de Energia debate os desafios da luta contra a privatização da Água

Nos dias 24 e 25 de agosto, ocorreu a I Etapa de Formação de Formadores da Plataforma Operária e Camponesa da Energia no Estado do Piauí. 

A formação aconteceu no Auditório do Sindicato das Indústrias Urbanas do Piauí, na cidade de Teresina – PI e contou com cerca de 30 militantes, dentre eles: atingidos por barragens, camponeses, estudantes, quilombolas, trabalhadores da energia, saneamento, educação e comunicação de várias regiões do Piauí, além de delegações dos munícipios de São Luís, Imperatriz e Chapadinha, pertencentes ao Maranhão.

Um dos principais debates da formação foi a mesa “a estratégia do capital sobre a água” que contou com a contribuição de Edson Aparecido, da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) e Claúdio Fonteles, do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Urbanas do Estado do Piauí (SINTEPI) que refletiram sobre quais as estratégias que o capital tem utilizado para se apropriar da água e torna-la uma mercadoria, destacando como se deu o processo de privatização da Agespisa, quais as lutas foram travadas e os desafios que temos pela frente.

O curso tem o intuito de capacitar um grupo de lideranças com aptidão para dialogar com a sociedade piauiense sobre a importância do tema da soberania, explicando as graves consequências da privatização para o povo piauiense e intensificando um grande processo de luta contra a privatização das empresas Agespisa (empresa de saneamento) e a Cepisa (empresa de energia), duas maiores empresas públicas do estado, e a nível nacional massificar cada vez mais no próximo período o debate e a luta em torno da defesa da Petrobrás e do pré-sal para educação, saúde, emprego e direitos, em especial a grande luta que está prevista para acontecer no dia 3 de outubro no Rio de Janeiro.