No Sul do país, famílias atingidas usufruem dos benefícios das Placas Solares

Nos três estados do Sul do país, 210 famílias atingidas já foram beneficiadas com placas solares para aquecimento de água

 

Há algo no telhado de várias casas da região Sul do país que vem chamando a atenção e recebendo comentários positivos das comunidades atingidas por barragens. A novidade são as Placas Solares do Sistema ASBC (Aquecimento Solar de Baixo Custo), uma tecnologia social difundida por um projeto da ADAI (Associação de Desenvolvimento Agrícola Interestadual), em parceria com a Fundação Banco do Brasil e apoio do Movimento dos Atingidos por Barragens.

Denominado “Promoção da Soberania Alimentar em regiões atingidas e ameaçadas por barragens através da tecnologia social PAIS e Placa Solar de aquecimento de água”, o projeto está beneficiando 210 famílias de municípios atingidos ou ameaçados por barragens nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.  Além das placas solares, as famílias também montarão hortas por meio do Sistema PAIS – Produção Agroecológica Integrada e Sustentável, nos quais se inicia processos de transição agroecológica, com a produção de alimentos saudáveis e livres de venenos.

O projeto segue uma metodologia com várias capacitações, dias de campo e discussões com as famílias e suas comunidades sobre o modelo energético. As famílias tem a oportunidade de conhecer outras fontes de energia, como a solar, que praticamente não causam impactos ambiental e social, diferentemente das barragens hidrelétricas.

Para Dona Solenita Tavares, atingida pela barragem de Machadinho e moradora do Reassentamento Passo da Conquista, em Erechim (RS), as placas solares vem mudando a rotina da casa e da sua unidade produtiva. “Essas placas são simples e aquecem bem a água pra cozinha e pro banho. É um conforto que não tínhamos, mas hoje todo mundo quer lavar a louça em casa com a água quentinha, para além de usarmos também em outras necessidades, como lavar equipamentos do leite, por exemplo. Isso tudo é uma economia e conforto grande para nós”, relata Solenita.

Funcionamento

As placas solares de aquecimento de água apresentam montagem fácil, demandam pouca manutenção e também tem um funcionamento simples. A água em temperatura ambiente é disponibilizada para um boiler de 200 litros que é montado no telhado, na parte que mais leva sol. A água do boiler entra por gravidade em tubos de vidro revestidos por uma tinta específica para captar melhor a luz solar, e partir daí começa o processo de aquecimento de água, que pode chegar a mais de 90º.

Este sistema também é combinado com a fiação comum de energia elétrica, que é acionada apenas em dias de chuva e pouco sol, para que a família não fique sem água quente no banho, principalmente. Além disso, as placas também garantem benefícios múltiplos para as famílias, podendo diminuir o custo com energia elétrica em até 40% em um domicilio com 4 pessoas.