Nota de solidariedade ao povo hondurenho e contra o golpe

Plataforma Operária e Camponesa da Água e Energia:

Nota de solidariedade ao povo hondurenho e contra o golpe!

Reunidos em São Paulo, Brasil, as organizações que compõe a Plataforma Operária e Camponesa da Água e Energia (POCE)¹, de 19 estados brasileiros, vem a publico manifestar total solidariedade ao povo hondurenho, que sofre neste momento um golpe aos direitos democráticos, à soberania popular, a liberdade de expressão e manifestação e ao direito de escolher seu presidente, Salvador Nasralla, da Oposição Contra a Ditadura.

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de anunciar o vencedor, somente após uma “contagem especial” dos votos levantam graves suspeitas sobre a lisura e transparência do processo democrática e eleitoral e atenta contra a soberania popular do povo hondurenho.

Repudiamos a atitude do governo hondurenho de suspender os direitos constitucionais por dez dias e de determinar toque de recolher das 18:00 as 6:00, na prática significa estado de exceção.

É legítima e justa a resistência e a ação do povo hondurenho de lutar pela democracia e pela soberania. Lembremos que em 2009 Honduras sofreu um golpe de estado com a derrubada do presidente Manoel Zelaya, articulado desde as forças imperialistas estadunidenses aliadas às oligarquias locais. Os golpes no Brasil e no Paraguai, a guerra contra governo legítimo da Venezuela e a tentativas de desestabilização de governos progressistas, expressam que o acirramento da luta de classes recolocou os golpes na conjuntura latino-americana.

Denunciamos que o candidato derrotado, e atual presidente, Juan Orlando Hernandez e o presidente do TSE David Matamoros são os responsáveis por todo sangue derramado pelo povo hondurenho que resiste ao golpe e pelas mortes decorrentes deste processo.

As autoridades, chefes de governos e de estados, bem como os organismos internacionais, como a OEA, que não exigirem a proclamação da vitória de Salvador Nasralla, por parte do TSE, são cumplices do golpe em curso.

Convidamos todas as organizações e movimentos populares da América Latina e do mundo a solidarizarem-se com a luta do povo hondurenho em defesa da democracia, da soberania e a denunciarem o golpe em curso.

Seguiremos vigilantes em toda latino-américa. Viva o povo HONDURENHO!

Pátria Livre, Venceremos!

São Paulo, 03 de dezembro de 2017

  1. São membros da POCE: FUP - Federação Única dos Petroleiros (Sindipetro AM; Sindipetro CE/PI; Sindipetro RN; Sindipetro PE; Quimicos e Petroleiros da BA; Sindipetro MG; Sindipetro ES; Sindipetro Caxias; Sindipetro NF; Sindipetro Unificado SP;Sindipetro PR/SC; Sindipetro RS);CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação; CPERS, Sintero, Sise, Sindiupes, Sintego, Apeoesp, Sind-ute CNU‐Confederação Nacional dos Urbanitários - FNU - Federação Nacional dos Urbanitários; FRUNE‐Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste; FTUN - Federação dos Trabalhadores Interestadual Urbanitários do Norte; FSU‐Federação Regional dos Urbanitários do Sul; Federação Regional dos Urbanitários Centro‐Oeste; Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado de São Paulo (FTIUESP), Intercel, Intersul, Sindieletro-MG, STIU-DF, Sinergia CUT, Sindur-RO, Sintern, Sindaema, Sindae, Sinaerj, FISENGE - Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros; , Senge PR; Senge RJ; Movimento Camponês Popular (MCP); Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB); Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Levante Popular da Juventude, ), Associação dos Empregados da Eletrobrás (AEEL).