Reforma trabalhista vai aumentar exploração sobre o povo

As novas leis trabalhistas aprovadas pelo ilegítimo e golpista Temer e que entraram em vigor a partir de 11 de novembro de 2017 vai piorar muito a vida do povo brasileiro. O objetivo principal da reforma trabalhista é aumentar o lucro dos empresários. A reforma trabalhista terá consequências a todos/as trabalhadores/as, do campo e da cidade.  

Veja algumas medidas e consequências que entraram em vigor:

  1. Salário temporário: Os trabalhadores poderão ser contratados por “contrato intermitente”. Ou seja, salário esporádico (e não mais mensal fixo), as pessoas receberão salário apenas pelo período ou horas em que prestou seus serviços e não pela jornada de trabalho e não terá mais nenhum direito, nem férias, 13º ou descanso. Por exemplo: poderão receber salário por 2 horas de serviço por semana, nada mais.
  2. Desemprego: Com o novo modelo trabalhista, a grande parte dos trabalhadores será demitida pelas empresas para ser recontratada com salários menores, na forma de terceirizados, “autônomos” (sem férias e sem direitos) ou intermitentes.
  3. O negociado valerá mais que a lei. Por exemplo: se a empresa obrigar um grupo de trabalhadores a fechar um “acordo coletivo” desvantajoso, com retirada de direitos e salários abaixo do estabelecido na legislação, este passará a valer como lei na “Justiça do Trabalho”. A lei trabalhista vai proteger os ricos contra processos de indenizações trabalhistas.
  4. A nova lei prevê enfraquecer os sindicados, com isso o povo terá menos força de lutar junto. Sem representação e organização os/as trabalhadores/as terão menos força e os patrões vão impor o que querem.
  5. Vai aumentar a exploração sobre o povo que trabalha, piorando as condições de trabalho (precarização) e consequentemente diminuirá muito a qualidade dos serviços prestados à população.
  6. Haverá queda geral nos salários dos trabalhadores e redução dos direitos.
  7. Haverá aumento da jornada de trabalho diária, sem aumento de salário.

A única saída é a anulação da reforma trabalhista. O povo não foi consultado e um Referendo Revogatório, caso um presidente de caráter popular seja eleito, terá que ser uma das primeiras medidas. O povo deve ser chamado a decidir se estas leis devem continuar ou se devem ser anuladas.

Temer pretende aprovar Reforma da Previdência

O governo Temer quer acelerar a Reforma da Previdência Social do Brasil. As mudanças eliminam o direito à aposentadoria pública. Entre as propostas estão o aumento da idade mínima para 65 anos e tempo de serviço de 49 anos.

A proposta vai beneficiar os banqueiros. Sem aposentadoria pública, a população será obrigada a fazer plano de previdência privada, em banco privados.

Cinco golpes da reforma da previdência

  1. Querem impor Idade mínima de 65 anos para todos e 25 de contribuição.
  2. O povo terá que ter 49 anos de tempo de serviço para aposentadoria integral.  
  3. Fim da Seguridade Especial na Agricultura e introdução da obrigatoriedade de contribuição em caráter individual por cada membro da família com pagamento mensal por 25 anos.
  4. Querem diminuir para um benefício (aposentadoria ou pensão) e reduzirão o valor das aposentadorias por viuvez/pensões.
  5. Redução das aposentadorias por invalidez, aposentadorias especiais e auxílios.