Violação dos Direitos é reconhecida na construção da UHE de Garibaldi

A Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do estado de Santa Catarina, liderado pela Deputada Estadual, Partido dos Trabalhadores (PT), Luciana Carminati, reconheceu na manhã hoje (22), a violação dos direitos humanos dos atingidos, no processo de construção da UHE de Garibaldi em Abdon Batista.  Será elaborado um relatório com as entrevistas e depoimentos coletados na região que vai ser  entregue ao Ministra da Comissão dos Direitos Humanos, Maria do Rosário e ao Ministro da Presidência da Republica Gilberto Carvalho.

Na audiência nove atingidos pela barragem Garibaldi prestaram depoimento as autoridades que estavam presentes, os mesmos explicaram como é o tratamento da empresa Triunfo em relação aos agricultores atingidos. Emocionada Neusa Raithz foi uma das agricultoras que contou o que esta ocorrendo em sua comunidade em São José do Cerrito. “Cerca de 50% de nossas terras serão alagadas e dependemos dela para a nossa sobrevivência, porque é ali onde produzimos a nossa comida, e mantemos as nossas famílias, isso é uma injustiça o que a empresa Triunfo esta fazendo com os atingidos”.

Após ouvir os relatos dos atingidos por barragens de Garibaldi a Dep. Luciane  falou: “Temos aqui muitos direitos violados, e levaremos essa denúncia a Presidenta Dilma, na próxima semana”. Além disso, a presidente da comissão disse que todas as pessoas têm direito a propriedade privada, e os atingidos também tem esse direito, portanto a empresa deve fazer valer esse direito, diz a Deputada.  

Para o diretor do Sindicato dos Eletricitários de Florianópolis (Sinergia), Jerry Conceição, o Brasil não precisa mais energia, segundo ele as empresas estão construindo mais barragens para ganhar dinheiro, e não é diferente aqui em Garibaldi. “Isso que a empresa Triunfo esta fazendo com vocês atingidos é pura sacanagem”. Conclui Conceição.

Denilso Ribeiro da coordenação do MAB salienta a importância da organização dos atingidos pedindo apoio das autoridades na mediação das negociações junto a empresa e governo federal.

Amanhã (23), acontecerá às 14 horas no Ministério Público Estadual uma reunião de negociação entre os atingidos, governo federal e a empresa construtora. Dentre as reivindicações está um acordo que assegure o direito de reassentamento aos agricultores atingidos, garantindo que os mesmos continuem produzindo alimentos como forma de geração de renda para a família.

Os atingidos estão acampados a mais de uma semana nas proximidades do canteiro de obras e permaneceram mobilizados até que avancem os pontos da pauta de reivindicação.

Assessoria de imprensa do MAB- (49)8805-7811