Região Sudeste

No dia 13 de novembro de 2016, às 16:00h , 120 famílias atingidas das comunidades geraizeiras de Buriti, Tingui, Córrego do Engenho, São Lourenço e Bonfim Estreito ocuparam uma área da Fazenda Buriti Pequeno, próxima à cabeceira do Córrego São Lourenço, às margens da estrada municipal que liga o Distrito de Vale das Cancelas à sede do município de Grão Mogol (MG) e no entroncamento que dá acesso à barragem da Usina Hidrelétrica de Irapé, como forma de reivindicar a demarcação do seu território tradicional, contra a criminalização das lideranças das comunidades que vivem nesta área e pelos d

 “Só a luta vencerá a lama.” (Dom Geraldo Lyrio Rocha)

Nós, atingidos e atingidas por barragens, organizações sociais brasileiras e internacionais, reunidos neste dia 05 de novembro, em Bento Rodrigues, distrito de Mariana (MG), viemos nos solidarizar e trazer o máximo de conforto e carinho para os familiares dos que morreram por causa do crime cometido pelo rompimento da Barragem de Rejeito da Samarco (Vale/BHP Billiton), um ano atrás.

Foto de capa: Yuri Barichivich/Greenpeace

Fotos: Leandro Taques

No aniversário de um ano do crime da Samarco (Vale/BHP Billiton), aproximadamente mil pessoas realizaram ato político no distrito de Mariana (MG)

Representantes das famílias de Bento Rodrigues e da aldeia Krenak convocam protestos para marcar um ano da tragédia

Foto: Isis Medeiros

Texto: Rafaella Dotta do Brasil de Fato 

Aconteceu neste sábado (22) o Encontro do MAB: Território, Água e Energia, no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora de Fátima no município de Josenópolis-MG.

Em protestos contra a Samarco, ferrovias foram trancadas


Entre os acusados estão executivos de alto escalão e gerentes da Samarco e das controladoras, Vale e BHP Billiton

Do Brasil de Fato

O Ministério Público Federal denunciou 21 funcionários da Samarco e de suas controladoras, Vale e BHP Billiton, por homicídio com dolo eventual, ou seja, quando se assume o risco de matar, por conta do rompimento da barragem de Fundão, em 5 de novembro do ano passado. No episódio, morreram 19 pessoas.

Por meio das estruturas do Estado, mineradoras tentam impedir o livre direito à manifestação e organização dos atingidos

“Foi depois do fechamento de quase 20 horas da estrada de ferro que a Samarco fez o cadastro de todos os moradores da comunidade”, relata Regiane Souza, atingida do distrito de Mascarenhas, em Baixo Guandu (ES). A conquista foi por mérito da organização e luta de uma comunidade que se viu abandonada à própria sorte pela Samarco (Vale/BHP Billiton).

A canção “Desumano” é uma criação do músico Fafá da Barra, morador da cidade de Barra Longa, que foi atingida pela lama em novembro do ano passado