Região Sudeste

Por CPT

Com o lema “No clamor dos povos da terra, a memória e a resistência em defesa da vida”, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) realiza seu terceiro Congresso Nacional, na cidade de Montes Claros (MG), semiárido brasileiro. Entre os dias 17 e 21 de maio, o evento irá receber cerca de 800 pessoas, entre agentes da pastoral da terra, trabalhadores, trabalhadoras, convidados, representantes de movimentos sociais e estudiosos de todo o país.

Famílias atingidas por barragens em Minas Gerais estão mobilizadas desde o último 14 de março, Dia Internacional dos Atingidos por Barragens. No dia 20/04 fizeram panfletagem em Belo Horizonte contra a Usina de Belo Monte e no dia 28/04, realizaram uma Marcha na Zona da Mara mineira, saindo do Acampamento Dom Luciano e indo até à Casa de Força da Novelis, uma empresa transnacional do setor elétrido e de alumínio, com sede na Índia, que construiu a barragem de Fumaça.

No ultimo sábado (27) um grupo de estudantes dos cursos de Biologia e Geografia da Universidade Federal de Viçosa (UFV) visitaram o acampamento organizado pelo MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) às margens da PCH Fumaça no distrito de Miguel Rodrigues em Diogo de Vasconcelos. A visita foi feita numa parceria entre o Centro Acadêmico de Biologia e a Assessoria de Movimentos Sociais da Universidade.

Hidrelétricas geram energia para lucro das empresas e deixam a população atingida na miséria.

Os acampamentos de Minas Gerais que iniciaram no domingo estão sendo reforçados com o aumento do número de participantes. Os atingidos também participam de debates fora do acampamento, como aconteceu na segunda-feira (15), em uma atividade na Universidade Federal de Viçosa. Ontem, uma comissão participou de um debate sobre a Violação dos Direitos Humanos, na cidade de Mariana, que contou com a presença de autoridades, entre elas, os prefeitos da região e o presidente da CNBB, arcebispo de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha.

As atividades da jornada de lutas em comemoração ao Dia Internacional de Luta contra as Barragens continuam pelo Brasil com acampamentos em vários estados. Nos locais em que os acampamentos iniciaram no domingo e na segunda, hoje as atividades foram internas, com debates sobre análise de conjuntura e o modelo energético.

Cerca de 300 atingidos por barragens estão mobilizados em duas regiões de Minas Gerais, nas barragens de Aimorés e Fumaça, no leste do estado e na zona da mata. As ações fazem parte da jornada nacional de lutas do Dia Internacional de Lutas contra as barragens, comemorado no dia 14 de março.

A 3ª Ação Internacional da Marcha Mundial das Mulheres segue a todo vapor desde segunda-feira, dia 8, quando saíram de Campinas em direção São Paulo. Hoje (12) a Marcha está em Jundiaí e durante a tarde as mulheres discutiram temas como soberania alimentar e luta por território. Com esta manifestação, as mulheres querem dar visibilidade à suas lutas e reivindicar mudanças em suas vidas.

Atingidas por barragens participam da marcha que reunirá representantes de todos os estados do país