Região Sudeste

Na estimativa do Movimento, há por volta de 300 famílias atingidas pela barragem de Porto Primavera, construída pela Companhia Energética de São Paulo (CESP), a maioria sem indenização justa.

Serão feitas ações em diversos estados do país como forma de apresentar à sociedade as pautas de reivindicações que farão parte da luta da CUT no próximo semestre.

Uma experiência viva e resistente do socialismo passou pelo Brasil, com parada em Minas Gerais, nos últimos dias. Foi com muita alegria que os movimentos sociais deste estado receberam Aleida Guevara. A filha do Che almoçou com militantes do MAB, prestou homenagem ao MST e participou de vários debates na capital.

O processo de luta em Minas Gerais já tem garantido vitórias para os atingidos por barragens, principalmente na área da produção. O objetivo é a melhoria da qualidade de vida e o fortalecimento da organização das famílias nas diferentes comunidades do estado.

Mesmo com o mau tempo, os atingidos por barragens participam de várias manifestações com liberação de postos de pedágios, atos públicos e debates sobre a pauta de reivindicações

O MAB organiza o Seminário Internacional: Panorama político sobre a questão da água. O evento será realizado na Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), nos dias 20 e 21 de julho.

Uma mulher de 36 anos, uma adolescente de 14  e um motorista morreram após um trem com sete locomotivas da MRS Logística, empresa de transporte de minério da VALE, atingir na quarta feira (22) um ônibus escolar que transportava 50 estudantes na cidade de Entre Rios de Minas na região do Alto Paraopeba em Minas Gerais. Vinte pessoas ficaram feridas.

Segundo o relatório da Comissão Especial, aprovado pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), a barragem de Aimorés violou cerca de 11 direitos humanos, sendo um deles a reparação por perdas passadas na construção da barragem.

Atingidos trabalham na estufa de hortaliçasO projeto foi inspirado em uma experiência da Universidade Federal de Lavras (UFLA) que foi adaptada às condições locais. Estão sendo aproveitados materiais disponíveis na região, principalmente o bambu e a madeira, com o objetivo de baratear os custos. Cada estufa custa em média R$500,00.