Água

Os movimentos e entidades articulados na Plataforma Operária e Camponesa para a Energia em Rondônia vão realizar o seminário "Panorama Político sobre água e energia" na próxima quarta-feira (6 de junho) no Ministério Público Estadual, em Porto Velho.

O MAB conjuntamente com a Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), o Sindicato dos Eletricitários (SINERGIA) e a CUT São Paulo lançaram ontem (2) as campanhas nacionais contra a privatização da água e da energia em Registro, na região do Vale do Ribeira, em São Paulo.

O MAB participou do Fórum Mundial Alternativo da Água (FAME) que aconteceu em Marselha, na França, entre os dias 14 a 17 de março. Veja depoimento do militante Iury Paulino à organização da atividade.

 

O MAB, a CUT e a Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), entre outros movimentos sociais e sindicais que integram a Plataforma Operária e Camponesa da Energia estão enviando uma carta para o comitê que discute a Rio+20, reunido em Nova York, na ONU. Com a carta, as organizações reivindicam que o Direito a Água e ao Saneamento, aprovado em 2010 pela Organização das Nações Unidas, seja respeitado e reconhecido como um direito humano fundamental.

Nosotros, los abajo firmantes, representantes de organizaciones de la sociedad civil y movimientos sociales, buscando proteger el reconocimiento de las Naciones Unidas histórica del Derecho Humano al Agua y Saneamiento por la Asamblea General y el Consejo de Derechos Humanos a través de resoluciones A/RES/64/292 y A/HRC/15/L/14 respectivamente.

Com o tema “Água é vida, não é mercadoria”, vários trabalhadores da empresa estatal de água de Barcelona, Espanha, se mobilizaram hoje (22/03) para marcar o Dia Mundial da Água. A manifestação pela principal avenida da cidade teve com objetivo alertar a população sobre o processo de privatização da água, cuja principal interessada é a multinacional Suez, que atualmente já é dona de parte da água de Barcelona.

Água: um direito de todos e todas - Nota pública do MAB no Dia Mundial da Água


Neste Dia Mundial da Água, 22 de março, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) vem a público manifestar sua posição em defesa da água como um bem público e direito fundamental dos homens e mulheres. Não à privatização!

Nós, organizações camponesas de diferentes países do mundo, membros da Via Campesina, reunidos de 12 a 17 de março de 2012, no Fórum Alternativo Mundial da Água, em Marselha, França, representados por delegados vindos da Turquia, Brasil, Bangladesh, Madagascar, Portugal, Itália, França e México, expressamos a nossa solidariedade aos afetados por catástrofes ambientais e, especialmente, aos que são vítimas da construção de represas, dos gases de xisto, da apropriação, da mercantilização e da escassez da água, das contaminações generalizadas, das repressões e dos assassinatos levados à prática contra os militantes defensores da água.

Militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) que estão em Marselha, na França, participando do Fórum Alternativo Mundial da Água, estiveram presentes em um ato de protesto contra a construção de grandes barragens, como a de Jirau no Brasil. O ato aconteceu na estação central de metrô de Marselha, em virtude do Dia Internacional de Lutas contra as barragens, pelos rios, pela água e pela vida, cujas ações acontecem ao redor do mundo neste dia 14 de março.