Energia

Os moradores do Jardim Julieta e da favela do Violão, na zona norte da cidade de São Paulo (SP) estão indignados com as cobranças abusivas feitas pela empresa AES Eletropaulo. De acordo com eles, o consumo indicado nas contas de luz não representa aquilo que de fato os moradores utilizam.

O professor de Engenharia Mecânica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Arsênio Oswaldo Sevá Filho, especialista em energias e combustíveis, disse nesta quarta-feira (13), em palestra na reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Goiânia, que não existe fonte de energia renovável.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) está desenvolvendo experiências de fontes de energia renováveis na região Alto Uruguai, com a instalação de placas solares para aquecimento de água.

O objetivo principal é fazer com que os trabalhadores tenham acesso a alternativas energéticas. “Precisamos difundir a iniciativa para que ela possa ser implementada por mais famílias e entidades”, disse um dos coordenadores do projeto.

Reunidos em Foz do Iguaçu, nos dias 16 e 17 de junho de 2011, paralelamente ao Congresso Internacional de Hidreletriciade, que reúne todas as empresas ligadas ao setor energético. militantes da Argentina, do Brasil e do Paraguai, membros de movimentos sociais, organizações políticas e representantes dos povos indígenas declaram:

1 – O setor elétrico em nível internacional tem causado imensas tragédias socioambientais através da construção de hidrelétricas.

Militantes de organizações e movimentos sociais da região da tríplice fronteira (Brasil, Argentina e Paraguai) realizam desde ontem (16), em Foz do Iguaçu (PR), o seminário Água e Energia: Soberania e Sustentabilidade dos Povos, que ocorre paralelamente ao congresso da Associação Internacional dos Produtores de Hidreletricidade.

Leia a declaração final do Econtro

O evento é paralelo ao Congresso da Associação Internacional de Hidreletrecidade. A Itaipu Binacional é a anftriã do evento e recepcionará empresários do setor elétrico de diversos países do mundo.

A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA ENERGIA

O tema da energia deve fazer parte da estratégia de luta popular do conjunto das organizações do Brasil e do mundo. A energia tem duplo caráter, é um bem de produção e bem de consumo ao mesmo tempo, por isso é tão especial e não possui dificuldade de comercialização.

Os consumidores deixarão de receber aproximadamente R$ 10 bilhões que foram cobrados indevidamente pelas distribuidoras de energia elétrica. Uma decisão da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), divulgada nesta terça-feira (14), alega que a devolução “não tem amparo jurídico e sua aceitação provocaria instabilidade regulatória ao setor elétrico, o que traria prejuízos à prestação do serviço e aos consumidores”.

Com o tema “Energia e Sociedade no Capitalismo Contemporâneo”, curso será composto por palestras e debates. Inscrições vão até dia 17

O MAB e o Jornal Brasil de Fato realizam, entre 24 de agosto e 28 de setembro, o curso “Energia e Sociedade no Capitalismo Contemporâneo”, em São Paulo.

O dia 20 de julho marcou um passo importante na conquista dos trabalhadores, no que diz respeito ao acesso à  universidade. Depois de quatro etapas realizadas no correr de dois anos, se formou a primeira turma do curso de especialização extensão Energia e Sociedade no Capitalismo Contemporâneo - turma Haydeé Santamarí­a - numa parceria de sucesso entre o Movimento dos Atingidos por Barragens e o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR), da Universidade Federal do Rio de Janeiro.