Direitos Humanos

Versão em espanhol da cartilha "O modelo energético e a violação dos direitos humanos na vida das mulheres atingidas por barragens", publicada pela Mundubat.

Assista ao vídeo que mostra a ação violenta da polícia na retirada de famílias sem-teto que ocuparam, na semana passada, uma área que pertence à Eletronorte. Ao todo, mais de 6 mil famílias serão atingidas diretamente por Belo Monte na cidade de Altamira.

Segundo o relatório da Comissão Especial, aprovado pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), a barragem de Aimorés violou cerca de 11 direitos humanos, sendo um deles a reparação por perdas passadas na construção da barragem.

Atingidos por barragens participam de audiência pública em Curitiba, onde discutem violações dos direitos humanos em áreas de construção de barragens. Projetos de construções de barragens e hidrelétricas podem afetar 15 mil famílias no Paraná, com um total de 41 unidades geradoras

Na tarde de ontem (9) aconteceu em Brasília mais uma reunião entre o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e representantes do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH). A reunião aconteceu para dar continuidade às investigações sobre as denúncias de violação dos direitos humanos em áreas de barragens.

Na noite de ontem (07), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizou na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasp) o ato de divulgação do relatório da Comissão Especial “Atingidos por Barragens”, que comprova violação dos direitos humanos na construção de barragens no Brasil.

 Estiveram presentes parceiros como o MST, a CPT, a Consulta Popular, o Instituto Regional da Pequena Agropecuária, entidades do movimento estudantil, sindicatos e também instituições governamentais como a superintendência regional do Incra.

Com as presenças de representantes do governo e movimentos sociais, será debatido a partir das 18h de hoje (7), no auditório da biblioteca da Univasf, Campus Petrolina, o relatório da Comissão Especial “Atingidos por Barragens”, aprovado pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH). O relatório possui mais de 600 páginas que comprovam a violação sistemática de pelo menos 16 direitos humanos em populações atingidas por barragens de todas as regiões do Brasil.

Acontece hoje (02) em Curitiba o lançamento do relatório da Comissão Especial “Atingidos por Barragens”, aprovado pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH). O relatório apontou que há um padrão de violação de direitos humanos em áreas de construção de barragens.

O Movimento dos Atigidos por Barragens (MAB) elaborou uma cartilha a partir do conteúdo do relatório da Comisão Especial “Atingidos por Barragens”, aprovado pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana em novembro do ano passado. A cartilha foi lançada durante o 1º Encontro Nacional de Mulheres Atingidas por Barragens, em Brasília, no dia 5 de abil.

O relatório apontou que há um padrão de violação de direitos humanos em áreas de construção de barragens: