Direitos Humanos

 

Agência Brasil

Rio de Janeiro - Um relatório, que está sendo elaborado pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) em conjunto com a  Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) da Presidência da República, constata que tem aumentado, nos últimos anos, a violação de direitos humanos das populações afetadas pelas grandes hidrelétricas no Brasil.

No último dia 13, em Brasília, o MAB e demais movimentos sociais apresentaram à Alta Comissária da ONU, Navenethem Pillay, a situação dos atingidos por barragens no Brasil, das vítimas do modelo de desenvolvimento, além disso denunciaram a ação de grandes empresas que não respeitam os direitos humanos e criminalizam os movimentos sociais. A alta comissária foi informada da situação dos mais de um milhão de brasileiros que já foram atingidos por barragens e que, em sua maioria, não receberam qualquer tipo de indenização.