Encontro Nacional do MAB

Desde os anos 70, atingidos e atingidas por barragens fazem a luta paradefender e garantir seus direitos, muito em decorrência da enorme contradição colocada no setor elétrico do nosso país. Há décadas o Estado brasileiro desenvolveu um marco regulatório forte para garantir a construção das hidrelétricas em todas suas etapas, desde o planejamento, concessão e liberação da obra, até a liberação de recursos financeiros necessários.

Nesta quarta-feira (07), diversas organizações sociais, sindicais, eclesiais e parlamentares se reuniram para o ato-político de lançamento do Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que aconteceu na sede da Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília.

Neste último final de semana, 03 e 04 de agosto, ocorreu em Registro (SP) o primeiro Encontro de Formação da Juventude do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) no estado.

Na próxima quarta-feira (07), às 18 horas, será realizado um ato-político de lançamento do Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) na sede da CNBB.

Nesse último período o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) vem se preparando para o seu Encontro Nacional que acontecerá de 2 a 5 de setembro em São Paulo e que terá como lema Água e energia com soberania, distribuição de riqueza e controle popular. Para isso, todos os estados em que o movimento é organizado estão trabalhando para que este encontro seja uma construção coletiva de todos os atingidos.  

Movimentos do campo, organizações sindicais, frente feminista e outros segmentos da luta popular estiveram presentes no lançamento do Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), realizado na sexta-feira (26), em São Paulo.

Neste sábado (20/07), mais de 120 pessoas vindas de 48 municípios mineiros e representando 18 organizações estiveram presentes no lançamento do Encontro Nacional do MAB, que aconteceu na capital, Belo Horizonte.

Ouça e divulgue o programa de rádio sobre a necessidade da articulação entre os trabalhadores do campo e da cidade e a Plataforma Operária e Camponesa para a Energia. O programa foi produzido pelo coletivo de Comunicação do MAB, com apoio da Radioagencia NP.